Elitserv | Noticia do Estado Rio de Janeiro Construção Rio com novo Código de Obras
ONDE ESTAMOS
WHATSAPP

Noticia do Estado Rio de Janeiro Construção Rio com novo Código de Obras

Rio com novo Código de Obras

Para o presidente da ADEMI-RJ, novo regimento ampliará a oferta e a liberdade de construção. Entre as mudanças, o tamanho mínimo de um apartamento construído passa a ser de 25m², em quase todos os bairros da cidade, e prédios próximos a estações de modais do transporte público podem ter menos vagas para veículos.

 

Rio com novo Código de Obras

Aprovado em dezembro de 2018, o novo Código de Obras seguiu para o gabinete de Marcelo Crivella para sanção. O documento traz várias mudanças, entre elas, a não obrigatoriedade de playground e apartamentos para porteiros nos prédios, exceto na Barra e no Recreio. 
A mudança mais significativa, porém, diz respeito ao tamanho mínimo de um apartamento construído, que passa a ser de 25m² em toda a cidade, menos na Barra, Recreio, Vargem Grande e Ilha do Governador.
Ainda dentro da metragem há algumas peculiaridades por região e tipo de empreendimento. Até agora, unidades novas não podiam medir menos que 55m². Outra regra nova: prédios próximos a estações de metro, trem ou BRT podem ter menos vagas para veículos. Isso vale para lançamentos e para quando o imóvel for subdividido em mais quartos após reforma.
A alteração ajudará a aquecer o mercado imobiliário, que amarga estagnação. Mas não fará milagre. Para Paulo Pôrto, professor de negócios imobiliários da FGV, além da mudança na legislação é preciso pensar em novas soluções para a moradia no Rio. Entre elas, diz, os apartamentos compactos, os de um quarto e os “colivings” (compartilhados).
Este tipo de moradia é bastante comum fora do país. São unidades independentes com áreas sociais comuns, como lavanderia e cozinha.
MUDANÇA DE HÁBITOS
O novo Código de Obras vem sendo costurado há cerca de dois anos e é muito aguardado por vários braços do setor imobiliário. A principal justificativa é que o mercado deve atender à demanda de um perfil de comprador e morador que tem se consolidado.
— A sociedade vem se transformando muito nos últimos anos e precisamos acompanhar. Os arranjos familiares são diferentes e o ritmo de vida é outro, com uma busca por imóveis menores em locais de fácil locomoção. O segmento da habitação precisa se atualizar no conceito de urbanização — analisa o vice-presidente do Sindicato da Habitação (Secovi Rio), Leonardo Schneider.
Por outro lado, havia uma discussão de que permitir unidades muito pequenas poderia trazer as “cabeças de porco” de volta. Mas representantes do setor juram que este fenômeno não corre o risco de acontecer novamente.
Para Claudio Hermolin, presidente da Ademi RJ e da Brasil Brokers, o novo Código vai ampliar a oferta e a liberdade de construção, mas será regulada pelo próprio mercado.

Translate »
COPYRIGHT © 2018 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS